Aplicar este tema
Cuidado com as palavras pronunciadas em discussões e brigas, que revelem sentimentos e pensamentos que na realidade você não sente e não pensa… Pois minutos depois, quando a raiva passar, você delas não se lembrará mais… Porém, aquele a quem tais palavras foram dirigidas, jamais as esquecerá.
Chapolin Colorado.  (via alentador)
Como assim você ta perguntando se eu tô bem?! Como assim você não quer me ver triste depois de tudo que me fez?! Você realmente não sabe como foi e está sendo difícil pra mim me estabilizar na vida novamente. Você não sabe quantas vezes eu olho no espelho e tento me achar bonita, e tenho de fazer isso todos os dias. Você não sabe quantas vezes todos os dias eu falo a mim mesma que sou forte tentando ser, mas não consigo. Você não sabe quantas vezes eu fui dormir chorando por causa do tamanho babaca que você foi. E sabe menos ainda, que todos os dias eu morro de saudades da gente. E que não tem um dia que eu não morra de vontade de te encontrar mais uma vez. Eu morro todos os dias querendo alguma coisa e sei que por culpa sua, e por você ser esse infeliz, eu não posso nada e só tenho a superar. Pois é, eu morro de saudades todos os dias de ser idiota com você, morro de saudades todos os dias dos teus beijos, do teu abraço, e da malícia no teu olhar. Mas hoje eu só vivo morrendo.
Esposa do Antônio.  (via trovoava)
A minha vontade era ficar, eu juro que era. Mesmo que não me pedisse e mesmo que não quisesse. Mas você me deu todos os motivos pra eu me afastar. Todos, repito.
Querido John   (via alentador)
Lembro de já ter ficado triste por te deixar triste. Lembro de me sentir mal com isso. Lembro dos momentos em que a gente foi bobo e feliz. Lembro que sou feliz a maior parte do tempo, pelo simples fato de você existir em mim. Lembro de descobrir que um sentimento não serve para ser dito, como coisa que fica bem em filme ou texto, ele tem que ser vivido de forma plena. Lembro de não conseguir me permitir sentir tanta felicidade assim. Lembro da tua mão, que sempre acha a minha. Lembro dos teus dedos, que sempre me fazem carinho. Lembro da tua boca, que sempre me acalma. Lembro do teu rosto de menino, que me olha como se ainda fosse aquela primeira vez. Lembro de cada coisa que descubro, manias, gestos, pensamentos.
Clarissa Corrêa.  (via alentador)
Mas escreve aí, na tua agenda, no teu bloco de notas, na tua memória, tanto faz: Escreve que eu vou sempre cuidar de você. Escreve que eu vou te proteger, te amar e te cuidar, quando você menos esperar uma atitude minha. Escreve que eu não vou te deixar cair, e se isso acontecer, eu vou te segurar. Não procure mais ninguém além de mim, está bem? Eu estarei contigo mesmo naqueles dias em que estiveres farto de minhas palavras bobas. Escreve, pode escrever, que a gente vai fazer mudar essa ideia de que o pra sempre não existe. Escreve que eu estarei sempre com você, longe ou perto, tanto faz. Escreve que eu sou a outra metade do seu cérebro, que eu sou a parte que te completa, eu sou a sua garota, seu anjo, sou sua. Como dizem por aí, “a tampa da minha panela, a outra metade da laranja.” Escreve que você não vai me perder, aliás, ninguém me teria, assim como você me tem. Escreve em um cantinho aí do lado da tua agenda “nunca desistir dela”. Nunca desistir da tua pequena, só tua. Escreve que sou eu que vai te fazer sorrir quando os outros só conseguem te por mais ainda pra baixo. Escreve que sou eu que vai te irritar quando você estiver bravo. Escreve que eu não vivo sem você, aliás, você faz parte de mim, certo? Certo. Escreve que você é o único que me faz sorrir como ninguém, e eu amo seu sorriso, porra, amo mesmo. Escreve que sou eu que vai entender tuas atitudes, tuas crises existenciais, tuas loucuras, tuas variações de humor. Não te prometo perfeição, até porque, estou muito longe disso, mas te prometo o meu melhor, te prometo minha parte boa, minha parte que te ama. Escreve que apesar dos apesares, continuaremos pertencendo um ao outro. Escreve, pode escrever, que eu quero você aqui, pra te contar minhas piadas sem graças, e te ver rindo, só por ter ouvido minhas gargalhada. Eu quero o som da sua risada, as suas mãos nas minhas, e que quero tudo que venha de você. Eu quero nós dois dançando no meio da nossa sala, um olhando para o outro. Eu quero sorrisos entre beijos, e corações acelerados. Eu quero tanta coisa, e quero tudo com você. Escreve, escreve que é você que me completa, me concerta, e me arruma de um jeito que só você sabe. Escreve, você é a melhor parte de mim, e, eu sou o teu parafuso solto que te desconcerta de alguma forma. Escreve, eu não vou desistir de você, não vou desistir de nós. Escreve pra não esquecer de guardar aquela foto que tiramos fazendo careta, lembra? Guarda dentro da tua gaveta, aquela, cheia de recordações, guarda aquela carta que te fiz, porque eu vou guardar a tua foto, bem na estante da sala, e quando me perguntarem, vou dizer “foi a melhor alegria da minha vida.” Aliás, não vai ser preciso eu dizer, você vai tá lá pra dar a melhor resposta. Escreve que eu não te quero só nesses nossos momentos de alegria, pode tá frio, calor, chovendo, com um sol insuportável, pode tá de qualquer jeito, eu preciso de ti. Escreve que a gente vai dividir alegrias, tristezas, mágoas, qualquer coisa, o importante é que estejamos juntos. Escreve aí também, bem na frente, com letras garrafais: E mesmo, com todos esses meus defeitos incorrigíveis, eu te amo de uma forma que nem eu sei explicar.
Ariel S.   (via alentador)
A gente briga, se desentende, bate a porta, pisa duro e sai dizendo que nunca mais vai voltar. Mas no fundo, a gente sabe que se pertence. E cada pedacinho meu é teu, e cada pedacinho teu é meu.
3x4.      (via alentador)
Hoje em dia percebo que não é bem a sua falta que sinto, mas sim de como eu me sentia ao seu lado. É isso, sinto uma saudade absurda da sensação de estar apaixonado, de sentir um arrepio com o toque, do estômago embrulhando a cada ligação, da ansiedade esperando uma SMS, de planejar surpresas só pra ver um sorriso… Saudades do tempo em que eu me sentia vivo, que eu sentia algo.
Efeito Colateral. (via alentador)
Quer saber? Te amo. Te amo de um jeito que eu tento explicar e não sei. Palavra fica presa. Engasgo, afogo e uso palavras pela metade. Na hora H sempre falta uma vogal. Mas quer, de novo, saber? Meu coração nunca foi pela metade: sempre foi-inteirinho-seu.
Clarissa Corrêa.  (via segredou)
Você me causa amor.
Mantido. (via reatou-se)
Estranho seria se eu não me apaixonasse por você.
Nando Reis. (via auroriar)
É mais fácil ficar sozinho. Porque, e se você descobrir que precisa de amor, e depois não o tiver? E se você gostar e depender dele? E se você modelar sua vida toda em volta dele, para então ele acabar? Você consegue sobreviver a tamanha dor? Perder amor é como perder um órgão. É como morrer. A única diferença é que a morte acaba. Isto, pode durar para sempre.
Greys Anatomy.   (via alentador)
Mas o amor, o amor mesmo, o amor maduro, o amor bonito, o amor real, o amor sereno, o amor de verdade não é montanha-russa, não é perseguição, não é telefone desligado na cara, não é uma noite, não é espera. O amor é chegada. É encontro. É dia e noite. É dormir de conchinha. É acordar e fazer um carinho de bom dia.
Clarissa Corrêa.    (via alentador)
Por um minuto eu queria saber qual é a primeira coisa que se passa pela sua mente quando você ouve meu nome.
Clarice Lispector. (via discougrafia)
Só que muitas vezes eu preciso de cuidado e atenção e não sei pedir. Sei lá, acho que a pessoa tem que se dar conta. Não dá pra querer que o outro perceba o que você quer ou precisa, sei disso. Mas prefiro não falar nem pedir, por isso simplesmente deixo. Então, vejo que a pessoa não se deu conta e isso me emputece. Errado? Sim. Mas não acerto sempre, nem quase sempre, nem nunca. Eu vivo errando, afinal, a gente tá aqui pra isso, não é? Para errar, fazer certo, buscar o que nem sabemos direito.
Clarissa Corrêa. (via auroriar)
Mesmo que eu encontre outra pessoa, mesmo que você encontre também. É você. Sempre foi você, sempre vai ser você. E eu não sei onde eu estava com a cabeça quando eu falava que não era.
Robin and Stubb.    (via alentador)